(48) 9 9999-6561 Whatsapp

Órgãos competentes recomendam vacinação contra a febre amarela

01/02/2019 às 06h41 - Atualizado em 01/02/2019 às 06h45

Por Paulinho K

 Devido a baixa procura pela vacina contra a febre amarela nas Unidades Básicas de Saúde e no trailer localizado na Praça Almirante Tamandaré, a Secretaria de Saúde de Balneário Camboriú, por meio do Departamento de Vigilância Epidemiológica (DIVE), faz uma recomendação para que moradores da cidade, que ainda não foram vacinados, compareçam nestes lugares para receberem a dose.

Santa Catarina não registra casos autóctones da doença (de transmissão dentro do estado) desde 1966. Entretanto, em 2018 o estado inteiro passou a ser Área com Recomendação de Vacina (ACRV) para que a população mantenha a proteção. De acordo com o portal da DIVE-SC, em dezembro do ano passado, a estimativa era de que 11.912 pessoas não haviam se vacinado em Balneário Camboriú. Até o dia 15 de janeiro, apenas 92 pessoas, ou seja, menos de 1% da população que não havia se vacinado até dezembro, recebeu a dose.

"A febre amarela é uma doença viral aguda cujo ciclo de transmissão pode ser urbano ou silvestre. A transmissão urbana, envolvendo o mosquito Aedes aegypti, não é registrada no Brasil desde 1942. Os macacos são o que chamamos de sentinelas, pois por estarem mais próximos de onde os mosquitos do ciclo silvestre vivem, nos avisam de uma possível circulação do vírus quando começam a ser encontrados mortos ou doentes, por isso são tão vítimas dessa doença quanto os seres humanos”, disse a médica veterinária do DIVE-BC, Fabiana Ribeiro Barreiro.

As vacinas de febre amarela estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde da cidade. Também está presente na Praça Almirante Tamandaré um trailer da Saúde com as vacinas das 8h às 12h e das 13h às 17h, até o carnaval. “A vacina contra a febre amarela é indicada para todas as pessoas de 9 meses a 59 anos de idade. Idosos a partir de 60 anos devem procurar orientação médica para verificar a indicação da vacina. É importante ressaltar que uma única dose da vacina é suficiente para proteção contra a doença durante toda a vida”, disse a diretora da Vigilância Epidemiológica da cidade, Adriana Diogo.

A suspeita da doença se dá em pessoas que nunca foram vacinadas ou que tenham recebido a dose há menos de 10 dias e apresentem febre de início súbito, com duração de até uma semana, acompanhada de dois ou mais dos

seguintes sintomas:

Dores de cabeça
Dores no corpo
Mal estar
Calafrios
Náuseas
Tontura
Dor abdominal
Icterícia (pigmentação verde ou amarela na parte branca dos olhos)
Manifestações hemorrágicas
Caso apresente este quadro, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima.

Fonte: Visor Notícias/ Foto: Divulgação

Disponível na Appstore Disponível no Google Play

Ouça no seu smartphone

© Copyright 2005-2019 - Rádio Vale - Todos os direitos reservados