(48) 3263-0303 Whatsapp

Maria Eduarda precisa arrecadar R$ 180 mil para cirurgia na coluna

21/07/2021 às 15h41 - Atualizado em 21/07/2021 às 15h50

Por Cristiéle Borgonovo (Assessoria voluntária)

A batistese Maria Eduarda Machado, 12 anos, luta contra o tempo para arrecadar R$ 180 mil e assim realizar uma cirurgia. A moradora do bairro Cardoso, em São João Batista, sofre de Escoliose Idiopática tipo 1, que é a curvatura da coluna. No caso da Duda a parte de cima da espinha vertebral está com a curvatura de 80 graus e a parte de baixo 73. A corrida contra o tempo é para que a menina consiga fazer a cirurgia antes que chegue aos 100 graus, pois dessa forma não há mais como corrigir o caso.

Duda vive com os pais, Luís Eduardo Alves Machado, 39 anos, a mãe Tatiane Cristina Eidt, 43 e a irmã Fernanda Cristina Machado, 17. Em virtude do caso da filha, Tatiane não está trabalhando e o sustento da família vem do trabalho do pai como torneiro mecânico.

O diagnóstico

Duda até 2019 era uma menina alegre, que jogava bola, corria, brincava e nunca teve nenhum problema de saúde. A mãe conta que certo dia percebeu que a filha começou a andar na ponta dos pés e em seguida que a menina tinha dificuldades em carregar a mochila da escola nas costas.

Foi então que procuraram um ortopedista. Na primeira consulta em 2019 veio o diagnóstico, era Escoliose Idiopática tipo 1. “Nesse momento o médico já nos alertou que o caso poderia se agravar com a chegada da menarca, pois a coluna ela estava tão prejudicada como agora. Procuramos a unidade de saúde e marcamos a consulta no Hospital Infantil, porém com a pandemia de Covid-19 ficou tudo paralisado”, conta a mãe.

No início do ano, Duda teve a primeira menstruação e o que o médico havia alertado ocorreu. O caso agravou muito e a coluna ficou afeta ao ponto dela ter dificuldade de locomoção. “Conhecemos a Cleusa Coelho, mãe da menina Cauani, de Tijucas que passou pelo mesmo processo. Como não podemos esperar, conversamos e ela nos indicou o Hospital e médico ortopedista que faz o tratamento da Cauani”, revela.

Em 21 de junho desse ano, Duda e os pais foram até Curitiba, no Hospital Vita, consultaram com o médico ortopedista Alynson Loracca Kulcheski. De lá saíram com a notícia da corrida contra o tempo, pois o caso da menina ainda pode ter solução caso a cirurgia seja feita antes da curvatura atingir os 100 graus. “O valor nos assustou, pois, R$ 180 mil é muito dinheiro para nós, que pagamos o financiamento da nossa casa e agora só o meu marido trabalha para as despesas”, enfatiza.

Durante a cirurgia será implantada uma haste total da coluna com 36 pinos de titânio. Somente esse material tem o custo de R$ 52 mil. O restante do dinheiro é a estadia, UTI – Unidade de Terapia Intensiva – os médicos, pois é uma equipe e demais despesas hospitalares.

Pedágio e Pedal

Duas ações já têm data marcada para ocorrer em prol da Duda. A primeira será um Pedágio Beneficente no próximo sábado, 24, em São João Batista. Outro será um pedal promovido pelos grupos Bati Canela e Pedal Feminino São João Batista, dia 01 de agosto, com saídas de Canelinha às 07h em frente à Igreja Matriz e em São João Batista, às 07h30 em frente a Prefeitura até Nova Trento, no Santuário de Santa Paulina.

Ajude você também

Chave Pix – Celular – 48999668165 – Titular Luís Eduardo Alves Machado (pai da Duda)

Conta para depósito: Caixa Econômica Federal – Agência 3533 – Conta Poupança 000.793.041.378-1 – Operação 013.

Acompanhe as ações promovidas pela campanha no instagram @juntosporduda

Disponível na Appstore Disponível no Google Play

Ouça no seu smartphone

© Copyright 2005-2021 - Rádio Vale - Todos os direitos reservados