(48) 9 9999-6561 Whatsapp

Com surto de sarampo, número de casos em SC aumenta 89% em duas semanas

11/12/2019 às 14h07 - Atualizado em 11/12/2019 às 14h10

Por Paulinho K

 O número de pessoas com sarampo em Santa Catarina aumentou 89% em duas semanas, de acordo com os dois boletins mais recentes da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC). No relatório divulgado em 13 de novembro, o órgão confirmou 94 casos. No de sexta-feira (6), 178. Outros 150 casos estão em investigação, conforme a enfermeira responsável pelo sarampo na Dive-SC, Alda Rodolfo da Silva.

A cidade com maior número de pacientes é Joinville, no Norte do estado, que nesta terça (10) confirmou 92 casos.

"Nós somos muito próximos do Paraná e o Paraná está com surto grande. Muitos jovens circulam entre as universidades ali. Tem estudantes do Paraná em Santa Catarina e estudantes de Santa Catarina no Paraná", disse a enfermeira da Dive-SC.


Número de casos de sarampo em SC em 2019 por faixa etária
0 a 1 ano: 3
1 a 4 anos: 2
5 a 9 anos: 3
10 a 14 anos: 3
15 a 19 anos: 52
20 a 29 anos: 91
30 a 39 anos: 21
40 a 49 anos: 3
Fonte: SinanNet/BNS
A faixa etária com o maior número de casos é aquela entre 20 e 29 anos. Entre 18 e 30 de novembro, foi feita uma campanha de vacinação focada nessas pessoas. O resultado, de 46.654 adultos dessa idade vacinados, foi menos do que a Dive-SC esperava. "Tem muito adulto jovem que está sem vacina. A gente continua oferecendo a vacina nas unidades de saúde", destacou a enfermeira.

Segundo a enfermeira, os locais do estado que mais preocupam atualmente são Concórdia, no Oeste do estado, e a região Norte, justamente por essa circulação de estudantes. No caso do Oeste, há movimentação de alunos que moram no Rio Grande do Sul e estudam em Santa Catarina e vice-versa.


De acordo com a enfermeira, por causa das ações feitas quando houve suspeitas de casos e porque Florianópolis está combatendo a doença desde junho, o número de casos no litoral tem diminuído.

Joinville
Desde janeiro, a maior cidade do estado aplicou 106.558 mil vacinas contra o sarampo. Porém, entre o grupo de 20 e 29 anos, a imunização cobriu 22%. "Apesar de toda a divulgação, de toda a imprensa, a procura não é maciça, ainda há desinteresse, o que nos causa perplexidade porque a vacina é de graça. A população ainda não acordou. Os 'Dias D' [das campanhas] foram os dias de menor procura pela vacina", disse o secretário Municipal da Saúde, Jean Rodrigues da Silva.

Para tentar melhorar essa situação, a secretaria tem buscado alternativas, como abrir uma sala de vacinação em um shopping, fazer imunização em escolas, fazer um trabalho de porta em porta para conferir a caderneta das pessoas e pedir para que a população evite aglomerações.

Em quatro eventos do final de novembro e início deste mês, houve suspeita de contágio de sarampo e a prefeitura precisou buscar os frequentadores para vacinar quem não estava imunizado.

A secretaria pede que as pessoas que estiveram nos eventos a seguir procurem os postos de saúde para verificar se estão vacinadas contra o sarampo:


22/11 - Segue Baile - Square Garden
30/11 - Formatura Exathum - Square Garden
30/11 - Baile do Rei e Rainha - Sítio Novo
01/12 - Convenção Tatuagem - Expoville
"Essa geração não teve acesso a essas doenças, ao longo do processo os pais não imunizaram as crianças. É uma coisa cultural, de 'isso não pega na gente, sarampo não existe mais'", disse o secretário. Ele também mencionou as propagandas das redes sociais contra a vacinação como suposição da causa da baixa procura pela imunização..

Importância da vacinação
Dive-SC e Secretaria de Saúde destacaram que é importante que a população que não se vacinou contra a doença ou não sabe se está vacinada procure os postos de saúde. Precisam ser imunizadas pessoas de 6 meses a 49 anos.

"Agora vem o verão, muitos turistas, muitas festas. A população tem que procurar a vacina antes de adoecer", orientou a enfermeira da Dive-SC. As doses continuam nos postos, mesmo com o fim das duas campanhas feitas este ano.

Nas crianças, a primeira dose da vacina contra o sarampo deve ser tomada aos 12 meses e a segunda, aos 15 meses. Quem tomar essas duas doses fica protegido por toda a vida. Bebês também devem tomar a chamada "dose zero", aos 6 meses de idade.


Quem não sabe se tomou a vacina e perdeu a caderneta de vacinação, deve seguir as seguintes orientações da Dive-SC:

Pessoas entre 1 e 29 anos devem tomar duas doses da vacina com um intervalo mínimo de 30 dias
Entre 30 e 49 anos, a orientação é tomar apenas uma dose
As vacinas que previnem o sarampo são a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e a tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e catapora).

Casos em SC
De acordo com o boletim mais recente da Dive-SC, do início do ano até 24 de novembro Santa Catarina registrou casos de sarampo em:

Joinville - 59 casos
Florianópolis - 29 casos
Concórdia - 17
Jaraguá do Sul - 12 casos
Canoinhas - 11 casos
Palhoça - 7 casos
São José - 6 casos
São Bento do Sul, Porto União e Peritiba - 4 casos cada
Barra Velha e Tubarão - 3 casos cada
Governador Celso Ramos, Guaramirim e São Francisco do Sul - 2 casos cada
Blumenau, Caçador, Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Modelo, Schroeder, Guabiruba, São João Batista, Imbituba, Monte Castelo, Mafra, Jaborá e Araquari - um caso cada
Além disso, houve três casos de tripulantes de um navio em atracou em Balneário Camboriú em fevereiro.


Sarampo
A doença é causada por um vírus que se espalha facilmente pelo ar através da respiração, tosse ou espirros.

Segundo a Dive-SC, os sintomas são:

febre alta
coriza
tosse
olhos avermelhados
manchas vermelhas

Vacina contra o sarampo — Foto: Prefeitura de Jaraguá do Sul/Divulgação

Joana Caldas - G1 SC

Disponível na Appstore Disponível no Google Play

Ouça no seu smartphone

© Copyright 2005-2021 - Rádio Vale - Todos os direitos reservados